Entre em contato conosco VIA WHATSAPP
49 98437 7750
Postado em 30 de Novembro de 2018 às 11h57

Conheça os tipos de torra de café

Aprendendo sobre Café (59)
Brasitália Máquinas e Café Já aprendemos sobre cultivo, como escolher o melhor grão, como moê-lo, mas ainda não falamos sobre os tipos de torra de café. Afinal, este processo super importante praticamente...
Já aprendemos sobre cultivo, como escolher o melhor grão, como moê-lo, mas ainda não falamos sobre os tipos de torra de café. Afinal, este processo super importante praticamente finaliza a cadeia produtiva antes da entrega ao consumidor.
 
Dizem os especialistas que a torra é o processo mais crítico, pois é a fase em que é mais fácil estragar o café – os bons profissionais também conseguem até melhorar alguns grãos que não estão excelentes, vale dizer. Quer saber mais sobre como é feita a torra do grão verde e como isso vai influenciar em todas as propriedades gustativas e olfativas da bebida? Leia este artigo até o final e fique por dentro de mais esta etapa do mundo do café.
 
Os diferentes tipos de torra de café e sua interferência no sabor e intensidade da bebida
 
Primeiro é preciso destacar que a boa torra é aquela que realça as melhores características de cada tipo de grão. Isso porque o processo interfere no aroma, sabor, corpo, acidez, finalização, equilíbrio, enfim em quase tudo - a torra converte os mais ou menos 300 compostos originais em mais de mil diferentes.
 
Assim, para começar, é preciso conhecer o potencial de cada grão de café. Cada um vai oferecer um leque de possibilidades, especialmente para acidez, corpo e aroma. Mas esses aspectos podem variar muito em relação ao tipo de torrefação do café, e os graus de queima do grão cru determinam características diferentes para a bebida. Então, o mesmo grão de café gourmet terá características muito diferentes conforme o ponto de torra usado, que é definido pelo tempo em que o grão de café fica em cada temperatura.  
 
O processo se inicia com o aquecimento dos grãos, a uma temperatura de 180 a 240 graus durante um período de sete a quinze minutos, conforme o grão de torra que se deseja obter. Quanto mais tempo demorar o café a torrar, mais escura será a sua cor. Para que tudo corra bem durante o processo, é fundamental que o mestre de torra utilize os sentidos (visão, a audição e o olfato) para determinar quando os grãos estão corretamente torrados.
 
A partir disso, os níveis de torra podem ser diferenciados pela cor do grão de café e o aroma. A torra pode ser clara, média ou escura.
 
- Torra clara ou light

Os cafés de torra clara conservam melhor a acidez e aromas florais, por isso, esse tipo de torra é muito usada para cafés delicados e de alta qualidade. Porém, a torra mais clara desenvolve pouco o corpo do café. Como são menos torrados, os grãos também apresentam pouco amargor. Neste ponto, a maioria dos óleos essenciais do café é conservada (quanto maior a torra, mais óleos o grão perde para o ambiente). O café de torra clara é muito usado para a preparação de espressos.

- Torra média ou medium

É conhecida como a torra equilibrada. Neste ponto, o café começa a perder óleos essenciais e, por isso, também perde alguns sabores e aromas. Porém, começa a ganhar corpo e a perder acidez. Ou seja, os elementos estão em perfeita harmonia e o café tem textura aveludada. O café de torra média pode ser usado para a preparação de bebidas coadas.
 
- Torra escura ou dark

O café de torra escura tem pouca acidez. Porém, ele também perde em corpo e em doçura. Neste ponto, o açúcar natural do grão começa a caramelizar e amargor aparece. Cafés de torra escura desenvolvem aromas como chocolate e caramelo, por isso temos a impressão de tomar um café mais forte.

Alguns pontos importantes
 
Primeiro ponto: grãos excessivamente torrados geralmente são assim para esconder seus defeitos. Com isso, também perdem as características que deveríamos sentir em um café de qualidade - o café queimado é preto, perdeu seus aromas, corpo e acidez, sendo um café pobre em sabor e tende a apresentar gosto de queimado ou até mesmo de outras coisas desagradáveis como borracha. Muitos cafés comuns, os vendidos no supermercado, são queimados, e por isso costumam ter alto amargor. Talvez seja por isso que muitos adoçam a bebida.
 
Além disso, um torrador não é apenas uma máquina em que se colocam os grãos e pronto. Cada equipamento tem variáveis que devem ser controlados pelo mestre de torra: fluxo de ar, tempo e temperatura são algumas delas. Assim, um tipo de café pode ficar melhor se torrado mais claro e, outro, se for torrado um pouco mais. Quem dará o aval será o sensorial do mestre de torra, pois é por meio de seu conhecimento e de muitos testes, que vai se extrair o melhor daquele café.
 
Continue explorando o mundo do café aqui no blog da Brasitália. Você também pode nos encontrar nas redes sociais - Instagram no Facebook - e ver mais dicas e participar super promoções!

Veja também

O que é um microlote de café?24/01 O café em sua versão ultrassofisticada. Assim podemos resumir o conceito de microlote de café. De forma geral, um micro - ou até nano lote - oferece pequenas coleções de grãos, originados de uma produção cuidadosamente especializada.O produto é idealizado para se tornar um convite ao paladar e, por isso mesmo, vem se tornando cada vez mais......

Voltar para Blog (pt)