Entre em contato conosco VIA WHATSAPP
49 98437 7750

Blog de | Notícias

Postado em 29 de Agosto às 06h03

Brasileiro ou colombiano: quais as diferenças e qual é o melhor café

Aprendendo sobre Café (55)
Brasitália Máquinas e Café A Colômbia estáentre os grande produtores mundiais(por volta de15 milhões de sacas) eé o terceiro país exportador de café no mundo, com mais de 75% da produção...
A Colômbia estáentre os grande produtores mundiais(por volta de15 milhões de sacas) eé o terceiro país exportador de café no mundo, com mais de 75% da produção sendo destinados à venda internacional - cerca de 10 milhões de saca por ano. Os cafezais colombianos ocupam uma área de mais de 1 milhão de hectares. 

Nesta comparação, o Brasil não fica atrás: o país é o maior produtor de café, com mais de 50 milhões de sacas por ano; o maior exportador e também o segundo maior mercado consumidor.

O ponto em comum é que ambos, o café brasileiro e o café colombiano, são considerados os melhores cafés do mundo. Mas será que um deles é superior? E quais as diferenças e particularidades de cada um? Vamos saber mais e tirar as dúvidas ao longo do texto. Confira!

Entenda o Café Colombiano

A região denominada Paisagem Cultural Cafeeira (antes chamada de Triângulo do Café), que contempla os estados de Quindío, Caldas e Risaralda, é a grande responsável pela produção cafeeira, mas há grande produção também em Nariño, Norte de Santander, Antioquia, Vale do Cauca, Huila, Tolima e Cundinamarca.

No país é apenas cultivado o café Arábico e as variedades plantadas mais populares são:

  • Típica (passarinho ou nacional);
  • Borbón;
  • Tabi (grão grande para cafés especiais);
  • Caturra;
  • Variedade Colômbia.
O café colombiano provém de solos vulcânicos e de altitude, que apresentam clima ideal e riqueza de nutrientes para o cultivo da fruta. Além disso, a maioria dos produtores realiza a colheita do café de forma artesanal, e são colhidos apenas os grãos que atingiram maturidade completa, de cor vermelha e amarela. O método de transformar frutos em grãos na Colômbia é o lavado – via úmida. Depois de despolpados, são fermentados por um período entre 12 e 36 horas e os frutos são secos naturalmente ao Sol.
 
Esse terroir apresenta então um café de sabor e aroma bem específicos: xícara limpa com a acidez e corpo relativamente elevado e ótimo perfil sensorial. E por isso também, o café colombiano precisa ser comercializado em no máximo 6 meses (contrato tipo C), sob risco de perder suas importantes características.

Todo o café produzido 100% na colômbia é aprovado pela Federação Nacional de Cafeteros de Colombia leva o símbolo e imagem do logotipo do Café de Colombia, Juan Valdez. Esse personagem, criado em 1959 em referência às mais de 500 mil famílias cafeteiras colombianas, representa hoje a cafeteria mais famosa do país: Juan Valdez Café

O Café Brasileiro

No Brasil, encontramos o café vermelho e amarelo, dos tiposArábica e Robusta, das variedades Mundo Novo, Bourbon e Catuaí. Os amarelos são os mais utilizados em microlotes de cafés super especiais.

De forma geral, por aqui, o café é processado a seco (ainda dentro da fruta). O processo, chamado “natural”, faz com que o grão contenha grande parte da doçura, característica que continuará na xícara. Em relação à preservação, o café seco pode ser armazenado por mais tempo. Além disso, possui cor, aroma e sabor mais intensos que o concorrente colombiano, porém menos ácido.

Qual o melhor: Café Brasileiro X Café Colombiano

A Colômbia não ganha em quantidade, mas investiu em qualidade e foi pioneira no marketing de vendas. O mérito dos colombianos é ter criado o conceito de café gourmet, estabelecendo um padrão de atuação comercial e criando uma percepção de altíssima qualidade nos grandes mercados consumidores com a criação do selo Juan Valdez.

Já o Brasil, o caminho foi contrário: durante muitos anos o país focou na questão da quantidade, comercializando produtos com vários níveis de qualidade. Até o início dos anos 2000, era reconhecido principalmente pelo café comercializado como commodity agrícola, objetivando o alto volume de sacas produzido, direcionado principalmente ao mercado comercial e não ao gourmet. Isso gerou uma percepção negativa em vários mercados.

Porém, as atuais safras brasileiras vêm ganhando prêmios importantes em concursos mundiais nos últimos anos, e é a nova apoteose do mercado de cafés de origem. Prova disso é o título no Mundial de Brewers 2018 (café filtrado) com Café Fazenda Daterra, do Cerrado Mineiro. Também saímos vitoriosos na edição 2018 do Coffee of Excellence, Cup of Excellence, um dos maiores e mais respeitados prêmios do café mundial, com o Catuaí Vermelho da Fazenda Paraíso, em Carmo do Paranaíba, Minas Gerais. 

Ou seja, o café premium brasileiro pode não ter alcançado ainda a mesma fama do colombiano, mas é de qualidade indiscutível. E tem potencial de sobra para figurar entre os melhores. 

Neste outro artigo, você pode encontrar cafés exóticos, que estão entre os melhores e mais caros do mundo!

Veja também

Frapê Due Amori – Morango28/12/16 Toda quarta-feira a Brasitália tem uma novidade para você! Hoje é dia de receita nova, Frapê Due Amori – Morango! Vamos a recieta! Frapê Due Amori – Morango Frapê de Chocolate Branco 50 gr de Frapê Sabor Baunilha Essenza, 2 colheres de sopa de Leite Condensado, 100 ml de Leite Gelado, 4 cubos de gelo. Bata tudo no liquidificador......

Voltar para Blog (pt)